Início
NOTÍCIAS
20/05/2008
TCE inocenta presidente da Câmara em relação às contas de 2006
Secom CâmaraCbá/Fablício Rodrigues
Vereador Lutero Ponce
O presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, vereador Lutero Ponce (PMDB) foi inocentado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), no processo em que foi apontado como ordenador de despesas, da gestão anterior, cuja presidência da Casa de Leis era de responsabilidade da atual deputada estadual, Chica Nunes (PSDB).

Lutero havia entrado com recurso onde pedia ao TCE o reconhecimento público de que não tivera papel de ordenador de despesas em 2006, referente ao balancete financeiro reprovado no ano passado. O recurso foi votado na manhã desta terça-feira (20) e foi acompanhado pelos advogados Amazon Subtil e Fabiana Orlandi. “O Tribunal fez Justiça, sempre tive confiança e a certeza de que reconheceriam que o único ordenador de despesas da Casa é o presidente”, enfatizou Lutero.

Para o vereador, “foi um ano e meio de sofrimento e injustiça”. Enfatizou o desgaste que sofreu com noticiário negativo na mídia e, principalmente sobre a repercussão que a questão trouxe para a instituição. “Espero que agora todos reconheçam e nos dêem o mesmo espaço na imprensa para mostrar a verdade”, frisou.

Lutero ainda explica que, em toda a história administrativa da instituição, jamais um secretário da Mesa Diretora foi responsabilizado como ordenador de despesas e, que, na ocasião da reprovação das contas de 2006, onde foi apontado como tal, disse ter ficado surpreso. Enfatiza que na atual gestão, onde preside a Casa, o atual secretário, vereador Luiz Poção tem a mesma função que ele (Lutero), tinha na gestão anterior e, que a cada vez que recebe cheques para assinar, não tem o que questionar, pois já vêm revestidos de legalidade. “Portanto, se a situação é pronta não há porque responsabilizá-lo sobre possíveis erros”.

Na época da reprovação da contas o TCE condenou Lutero e Chica ao ressarcimento de R$ 1,8 milhão aos cofres públicos e ao pagamento de multa solidária no valor de 500 UPFs de Mato Grosso, correspondente a aproximadamente R$ 14 mil. O relator do processo foi o então conselheiro Júlio Campos. Mas, a partir da nova decisão do Tribunal, que foi por unanimidade entre os conselheiros, segundo Lutero, ele ficará isento de tal pagamento.

Assessoria/Secom Câmara



Imprimir Voltar Compartilhar:  




+ Notícias
17/07 - "Postos de Saúde dos bairros Cidade Verde e Cidade Alta estão sobrecarregados", afirma Dr. Xavier
16/07 - Chico Leblon apresenta várias reivindicações em seu primeiro dia de sessão
16/07 - Parlamento municipal entra em recesso regimental nesta segunda, mas o administrativo continua em funcionamento
16/07 - Reunião da CPI da saúde é adiada
13/07 - Parlamento cuiabano realiza Reunião de CPI da Saúde nesta segunda-feira (16)
13/07 - Câmara de Cuiabá homenageia três de seus servidores aposentados neste mês
13/07 - Sintep de Cuiabá enumera os pleitos da categoria durante votação da LDO/2019
12/07 - Parlamento cuiabano adia Reunião de CPI da Saúde
12/07 - Dr. Xavier volta a alertar: "Não apoio CPI que envolva atitudes truculentas"
12/07 - Câmara de Cuiabá antecipa sessão ordinária e realiza extraordinária nesta sexta-feira
12/07 - 1ª Dama da Câmara Municipal enfatiza sucesso da "Campanha Aquece Cuiabá"
SESSÃO AO VIVO
INFORMES

Câmara Municipal de Cuiabá - Praça Moreira Cabral
Centro - s/n - Cuiabá-MT - CEP 78020-010 - Fone: (65) 3617-1500
Todos os direitos reservados © 2013 - Desenvolvimento: Secretaria de Comunicação
O horário de atendimento ao público é de segunda a sexta-feira das 7:30hs às 13:30hs.