Início
NOTÍCIAS
20/05/2008
TCE inocenta presidente da Câmara em relação às contas de 2006
Secom CâmaraCbá/Fablício Rodrigues
Vereador Lutero Ponce
O presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, vereador Lutero Ponce (PMDB) foi inocentado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), no processo em que foi apontado como ordenador de despesas, da gestão anterior, cuja presidência da Casa de Leis era de responsabilidade da atual deputada estadual, Chica Nunes (PSDB).

Lutero havia entrado com recurso onde pedia ao TCE o reconhecimento público de que não tivera papel de ordenador de despesas em 2006, referente ao balancete financeiro reprovado no ano passado. O recurso foi votado na manhã desta terça-feira (20) e foi acompanhado pelos advogados Amazon Subtil e Fabiana Orlandi. “O Tribunal fez Justiça, sempre tive confiança e a certeza de que reconheceriam que o único ordenador de despesas da Casa é o presidente”, enfatizou Lutero.

Para o vereador, “foi um ano e meio de sofrimento e injustiça”. Enfatizou o desgaste que sofreu com noticiário negativo na mídia e, principalmente sobre a repercussão que a questão trouxe para a instituição. “Espero que agora todos reconheçam e nos dêem o mesmo espaço na imprensa para mostrar a verdade”, frisou.

Lutero ainda explica que, em toda a história administrativa da instituição, jamais um secretário da Mesa Diretora foi responsabilizado como ordenador de despesas e, que, na ocasião da reprovação das contas de 2006, onde foi apontado como tal, disse ter ficado surpreso. Enfatiza que na atual gestão, onde preside a Casa, o atual secretário, vereador Luiz Poção tem a mesma função que ele (Lutero), tinha na gestão anterior e, que a cada vez que recebe cheques para assinar, não tem o que questionar, pois já vêm revestidos de legalidade. “Portanto, se a situação é pronta não há porque responsabilizá-lo sobre possíveis erros”.

Na época da reprovação da contas o TCE condenou Lutero e Chica ao ressarcimento de R$ 1,8 milhão aos cofres públicos e ao pagamento de multa solidária no valor de 500 UPFs de Mato Grosso, correspondente a aproximadamente R$ 14 mil. O relator do processo foi o então conselheiro Júlio Campos. Mas, a partir da nova decisão do Tribunal, que foi por unanimidade entre os conselheiros, segundo Lutero, ele ficará isento de tal pagamento.

Assessoria/Secom Câmara



Imprimir Voltar Compartilhar:  




+ Notícias
17/11 - Câmara de Cuiabá homenageia Dia da Consciência Negra e a Luta que a essa representa
17/11 - Câmara recebe o ex-vereador Rinaldo Almeida, autor da lei que instituiu a dia 20 de novembro como feriado municipal
17/11 - Projeto aprovado na Câmara do Rio de Janeiro servirá de base para normatizar fechamento de ruas em Cuiabá
16/11 - Câmara de Cuiabá lembra Dia de Proclamação da República
16/11 - Colégio de Líderes define Membros de CPI
16/11 - Câmara de Cuiabá recebe autor de Lei municipal do Dia e da Semana da Consciência Negra
16/11 - Vereadores notificam presidente da Câmara para abrir CPI
13/11 - Autores de leis sobre consciência negra dão depoimento na Câmara
13/11 - Misael Galvão recebe Medalha Alferes Tiradentes por se destacar como vereador mais atuante em Cuiabá
12/11 - Elizeu Nascimento recebeu a Medalha Alferes Tiradentes, o 2º vereador mais atuante de Cuiabá
10/11 - Lei Complementar aprovada pela Câmara de Cuiabá promove Mutirão Fiscal 2017
SESSÃO AO VIVO
INFORMES

Câmara Municipal de Cuiabá - Praça Moreira Cabral
Centro - s/n - Cuiabá-MT - CEP 78020-010 - Fone: (65) 3617-1500
Todos os direitos reservados © 2013 - Desenvolvimento: Secretaria de Comunicação
O horário de atendimento ao público é de segunda a sexta-feira das 7:30hs às 13:30hs.